Saúde

Projeto de aluna de Araraquara resulta em economia de água e energia na hora do banho

Projeto de aluna de Engenharia Mecatrônica da Uniara resulta em economia de água e energia na hora do banho

Estudo de Letícia de Almeida Cardoso Ribeiro recebeu cartas de aceite de sete eventos pelo país para apresentar sua pesquisa

O estudo da aluna do quinto ano do curso de Engenharia Mecatrônica da Universidade de Araraquara – Uniara, Letícia de Almeida Cardoso Ribeiro, intitulado “Sistema de automatização do ajuste de aquecimento solar com a utilização do chuveiro elétrico convencional”, resultou, de acordo com ela, em economia de água e de energia elétrica. O trabalho, orientado pelo professor André Vicente Ricco Lucato, recebeu cartas de aceite de sete eventos pelo país para a apresentação da pesquisa, entre congressos, feira, encontro e semana de estudos.

O objetivo inicial do projeto, de acordo com Letícia, foi desenvolver um sistema no qual houvesse a combinação do chuveiro elétrico com o sistema de aquecimento solar para banho, “sendo que o usuário fará a escolha da temperatura em um painel ligado a esse chuveiro elétrico, que deverá ficar em funcionamento até atingir o nível selecionado”. “Logo após, o sistema de aquecimento solar continuará funcionando e desligará o chuveiro, evitando também o desperdício da água consumida por banho”, explica.

Como conclusão, ela aponta que foi possível economizar cerca de 3600 litros de água, “o que reduziu a conta de água em 17%, tendo como base uma casa com quatro moradores”. “Mas o mais surpreendente foi que conseguimos reduzir o consumo na conta de energia em 80%. O projeto proposto possui um ótimo custo-benefício, considerando a melhoria na qualidade do banho por meio do controle de temperatura, o que pode reduzir problemas de dermatite ao corpo humano, assim como a redução no consumo de combustíveis fósseis – sem emissões de CO2 – e a redução do desperdício de água”, destaca.

SAIBA MAIS.:  Quais as apostas da medicina para o tratamento de disfunção erétil

Letícia reforça que a vantagem reside no tempo menor para aquecimento da água para o uso do sistema de aquecimento solar. “Utilizando-se um aquecimento solar normal, até ligar e esquentar a água em um hotel, por exemplo, leva-se em torno de dois a três minutos, enquanto no nosso projeto não há esse tempo de espera”, enfatiza.

Em relação às cartas de aceite, a estudante conta que precisava apresentar seu Trabalho de Conclusão de Curso – TCC “e, sendo assim, voltei a atenção para os congressos que estavam abertos entre os meses de março e maio, para que eu pudesse me inscrever e tentar apenas uma aprovação, de modo que inscrevi-me em catorze, nesse período”. “Com isso, consegui o aceite de sete deles”, relata.

Os eventos que demonstraram interesse na apresentação do projeto foram: Simpósio Brasileiro de Automação Inteligente – SBAI; Congresso Técnico Científico da Engenharia e da Agronomia – Contecc; XXVI Congresso Nacional de Estudantes de Engenharia Mecânica – CREEM; Encontro Nacional de Engenharia de Produção – ENEGEP; XIII Semana de Tecnologia e Meio Ambiente – FATEC; 30ª Feira Nacional de Saneamento e Meio Ambiente – FENASAN, e V Congresso Brasileiro de Educação Ambiental Interdisciplinar – COBEAI.

SAIBA MAIS.:  Musicoterapia pode oferecer conforto, bem-estar e emoção

“No entanto, só posso fazer a publicação do mesmo projeto em apenas um deles, pois são normas de todos que o conteúdo seja inovador e original, não podendo ser publicado em outro congresso. Sendo assim, escolhi o CREEM 2019”, revela a aluna, contente pelas conquistas. “É muito bom ser reconhecida pelo potencial e pelo trabalho realizado, pois fica uma sensação de orgulho e dever cumprido. Além de promover conhecimento e desenvolvimento pessoal, essas conquistas trouxeram o reconhecimento por todo esforço durante esse curso, e a satisfação do projeto. Ainda estou esperando uma confirmação de aceite do Simpósio de  Engenharia de Produção – SIMPEP, ainda em agosto, e de mais três congressos até o final do ano”, diz.

O coordenador do curso de Engenharia Mecatrônica da Uniara, Marcelo Wilson Anhesine, está contente pela estudante. “Ela conseguiu um grande feito, que foram sete cartas de aceite. Foi uma eficiência muito boa na produção de artigos. Saber desses resultados é muito gratificante para a graduação e para a Uniara, de uma forma geral, pois mostra que os alunos estão começando a ‘abrir’ um currículo de pesquisadores – às vezes, futuros docentes. Há, inclusive, outros estudantes da graduação que tiveram aceites de congressos em todo o país, nas áreas de produção, de automação e controle. Eles estão trabalhando muito bem”, finaliza.

X